Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Experimentalista

Um blog onde exponho publicamente as pipas de massa que já gastei, dividindo-as em "bem empregues" e "desgostos"

19
Set16

A Sarah Ensina: a Manter a roupa branca!

Sarah

A roupa é aquele assunto que desperta em mim os mais evidentes sinais de que sofro de um transtorno obsessivo compulsivo não detectado medicamente. Há qualquer coisa na roupa branca que me dá um prazer inexplicável, uma sensação de que tudo está bem na minha vida, a cor nenhuma associo a limpeza como ao branco. Claro está que esta história de amor com a roupa branca faz de mim uma Beatriz Costa lavadeira à beira rio, no meu caso, à beira lava loiças, o que é quase a mesma coisa tendo em conta a dimensão da coisa e o estado molhado em que eu também fico. A roupa branca merece da minha parte um cuidado extra porque no branco não há lugar para disfarces: se sujou vai-se notar longe; se a zona das axilas está amarelada vamos passar um look mal lavado e porquinho; se os colarinhos das camisas estão castanho (vulgo, com "sarro") mesmo que a camisa tenha saído da máquina, vai sempre dar mau ar a quem a usa. 

Eu sei que a maioria das pessoas não tem vida para passar toda a roupa a pente fino antes de a colocar na máquina mas há pequeno truques que ajudam muito neste processo. O primeiro é para mim o mais importante de todos:

O Uso de Sabão

Sim, sabão. Daqueles que as mães e as avós tinham em casa e com o qual ameaçavam passar-vos na língua quando diziam disparates. Sabão azul de branco, sabão Clarim, sabão para sedas (diz mesmo assim na embalagem), o bom e velho sabão! 

Desengane-se quem acha que a minha arma de limpeza são as lixívias para a roupa que vemos nos anúncios e que acabam sempre em vanish, white, mega white, super white, extra clean e outras tretas que tais. Ainda que quando coloco a roupa na máquina adicione sempre uma dose disto ao detergente, nada bate o poder de limpeza do sabão. 

Eu uso-o directamente nas zonas que precisam de uma esfrega pré-máquina ou em saboaria

 

Directamente:

Há diferentes tipos de sujidade e diferentes tipos de trabalho a tirar a mesma. Por norma, punhos e colarinhos ficam impecáveis com uma passagem de sabão e uma boa esfrega, coisa de segundos! Costumo dar sempre este tratamento a estas peças de roupa pois a máquina não vai a fundo a estes sítios e assim evito ter que levar a mesma peça à máquina (coisa que, com o passar do tempo, vai comprometer os tecidos). Além das zonas onde estão as manchas também temos  que ter cuidado com o tecido em si:

Algodões:

São resistentes por isso quase qualquer produto e tratamento é bem tolerado

Linhos:

Para mim, são os irmãos saloios do algodão e, por isso mesmo, mais danados para tirar nódoas! Comportam-se bem com sabão mas nada de lixívias ou produtos agressivos ou ficam com uma manta de retalhos ao invés da toalha da vossa avó.

Sedas:

São as dondocas dos têxteis. As sedas querem água fria e sabão para sedas, menos agressivo que os outros tipos de sabão. E nada de deixar a secar no estendal ao sol das 12h, quais bacalhaus. As sedas (as mais baratas) perdem a cor quando muito expostas ao sol.

Lãs:

Sabão das sedas e garanto que as malhas ficam macias e limpas.

 

Saboaria

A velha técnica das senhoras que faziam disto vida, vulgo, lavadeiras! Admiro tanto estas senhoras. Vidas inteiras metidas dentro de água a lavar peças imensas como lençóis ou colchas, tudo por tuta e meia. Uma boa saboaria tem dois ingredientes: água quente e sabão ralado. Em conjunto com a água quente, o sabão torna-se um super herói das donas de casas em aflição com as manchas. As únicas nódoas que não devem ir a água quente são as de sangue, que em contacto com a água quente "coze" e aí bem podem deitar a peça fora. De resto, todas as nódoas têm uma morte triste ás mãos deste duo maravilha. O ideal é sempre, mas sempre, dar uma esfrega inicial à peça com a nódoa difícil. Depois sim, para ir buscar a brancura que queremos deixar a peça de molho na saboaria, até mesmo de um dia para o outro, já com a água fria. 

 

Nódoas que me tiram do sério:

Vinho

Sabão e água fria. Esfreguem bem e se a nódoa não sair façam a seguinte mistura: 1 copo de água cheio para meia tampa de lixívia para o chão. Sim, lixívia de lavar chão e afins. Adicionem também umas rapas de sabão e molhem a zona com a nódoa nesta mistura uns segundos de cada vez. Ao fim de 3 demolhas vão ver que a nódoa saiu. P.S- OBVIAMENTE não fazer isto com peças de cor.

Manchas amarelas

Se querem recuperar aquela t-shirt favorita, esfreguem primeiro com sabão e depois usem a técnica descrita acima. 

Sangue

Não sou uma serial killer mas sou mulher. Está tudo dito. Usar a mesma fórmula acima caso a nódoa não saia só com sabão.

Gordura

Muito sabão e água morna. Se a nódoa for coisa do chifrudo, usem o bom e velho detergente da loiça! Se isto também não funcionar, vão as compras de uma peça nova.

Batom

Quem sabe que o batom é na sua maioria gordura, quem quem? E quem já teve que tirar batom de um vestido de seda, quem quem? Eu. A minha mãe foi para um casamento com um bocadinho de sabão na pochete. E é por isso que é a minha pessoa favorita no mundo.

Graxa

O terror de um homem que engraxa os sapatos. E da mulher que vai em seu auxílio perante uma bainha preta num fato cinza. Sabão e detergente da loiça, água quente com fartura e um ralhete sobre a estupidez de engraxar sapatos já vestido. 

 

Agora, se os vossos amores ou vocês mesma forem mecânicos.......may God have mercy on your souls! Nem eu sei desencardir roupa com óleo de motor. Já ouvi relatos com o uso de água rás e sabão macaco mas nunca vi resultados palpáveis. 

 

Claro que há nódoas e, acima de tudo, tecidos com que eu não brinco e prefiro ir directamente a uma lavandaria (já despejei meio frasco de limpa fornos num sobretudo de lã!!!) mas as nódoas do dia-a-dia, essas, não me escapam.

Quanto ao detergente para a máquina, passo a publicidade e assumo-me mega fã do Skip. Principalmente do que cheira a sabão! Ah e se querem ver os resultados da saboaria, coloquem a roupa a corar, ou seja, estendam-na sem a passar por água limpa e deixem secar. Aquilo parece um branqueamento de dentista!

 

Espero ter dado mais uma ajuda e boas limpezas!

 

 

Mais uma dica: tenho as minhas gavetas cheias de saquinhos de cheiro, com alfazema, cidreiras e príncipe. A minha avó enchia as arcas da roupa com maçãs Bravo de Esmolfe e não tenho memória mais feliz ou cheiro que mais me aconchegue a memória.

 

 Sardinha "Aldeira da Roupa Branca" de Bárbara Gomes Artilheiro