Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Experimentalista

Um blog onde exponho publicamente as pipas de massa que já gastei, dividindo-as em "bem empregues" e "desgostos"

26
Dez16

Alguém pode desarmar 2016, por favor??

Sarah

É que já não se aguenta tanto artista bom a ir embora no mesmo ano! Mas isto é o quê? Uma rave party no afterlife? O melhor cartaz de sempre já não é o do alive mas o de JC? E desta vez foi-se o George Michael....

Não vou estar aqui armada em teórica musica e crítica conhecedora de toda a sua obra, porque não o sou, mas caramba, quem foi, como eu, criado pela VH1 sabe de cor muitas das suas músicas. Este tipo, enquanto artista, viu-me crescer, deixar de ser miúda e tornar-me uma mulher e se há música e videoclipe que espelham isso é o da Freedom. 

Está ali tudo! Estão ali as supermodelos, as primeiras, da altura em que as modelos se queriam com mamas, e rabo, e eram gajas boas. Está ali o primeiro videoclipe do mestre Fincher que, uns anos mais tarde, nos daria o Se7en - Sete Pecados Mortais. Está ali a sua revolta com a produtora, daí que em momento nenhum ele aparece a cantar e temos a cena do blusão a arder. Acima de tudo, está ali o arquétipo dos anos 90: mulheres lindas, homens feitos a martelo e escopo, sintetizadores e uma voz poderosíssima. A par de Madonna e Michael Jackson, o tipo foi e sempre será "os anos 90".      

 E quem nunca andou pela casa  tentar imitar a Cristy Turlington no seu lençol, ou o super sensual enrolar de toalha da Cindy Crawford? Um dia, também elas serão história. O George, infelizmente, tornou-se ontem, no seu Last Christmas.

Sarah