Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Experimentalista

Um blog onde exponho publicamente as pipas de massa que já gastei, dividindo-as em "bem empregues" e "desgostos"

21
Set16

As manias de quem escreve

Sarah

Quem escreve e gosta mesmo muito de o fazer tem algumas manias que, com o tempo, tenho vindo a descobrir serem comuns a muitos dos que escrevem. A escrita é encarada quase como peça de coleccionador e tida com o mesmo relevo e cuidado com que um filatelista trata os seus selos ou um ornitólogo observa os seus preciosos pássaros.

Uma das coisas a que damos mais relevância é à caneta. Sim, os que gostam de escrever têm manias com canetas. Coisa fortíssima por sinal! Do que a mim diz respeito, se gosto de uma caneta, não a largo mais e é a única caneta que não empresto. Na faculdade só fazia os exames com uma caneta específica e quando acabou, fiquei com o síndrome da perda.....por uma caneta!!! Mas é a grossura do traço, a cor da tinta, se é preto preto ou cinzento, se é azul ganga ou azul claro, a pressão necessária para a fazer correr no papel e por fim, o som que faz aos escrever. 

Claro que quem liga a canetas e sons liga a canetas de aparo. É uma associação impossível de desligar. Ouvir um aparo deslizar em papel grosso, de preferência, papel de linho, com veios.......ahhhh puro orgasmo literário! Eu adorava ter tempo e paciência para um dia, quando me casasse, poder escrever todos os meus convites à mão. De loucos não é? Sim, mas haverá maior indicação de que queremos mesmo aquela pessoa presente num dia tão especial? Abomino convites de casamento electrónicos, apesar de lhes entender a utilidade. 

E quem gosta de escrever tem sempre uma mania por um sítio, uma cadeira, uma música que o ajuda no processo. Claro que não podemos ser picuinhas ao ponto de só escrevermos em noites em que lua cheia faça um ângulo de 90º com o oceano e sempre que se verifique que o vento corre de sul! Isso não é gostar de escrever, isso é mania. Para escrevermos apenas precisamos de algumas condições de conforto, de sossego mas, acima de tudo, de rotina. Quem não tem rotinas pode ter o próximo romance de sucesso dentro da gaveta que nunca o vai acabar. A rotina e a estrutura são as melhores amigas de um escritor, por muito pouco literário que isto possa soar. Espreitem aqui algumas das manias dos maiores escritores de sempre.

Quanto a mim (ainda tão longe de algum dia ser uma escritora) assumo que o sossego e a escrita nocturna me completam. Nunca fui um passarinho da manhã e até ás 11h00 não consigo pensar normalmente e é por isso que de noite, o que vale a pena ser escrito, aparece. E a minha mais recente mania é uma caneta nova da uni ball, a AIR. Imita a escrita com caneta de aparo mas não pinga, não borra e não suja as mãos. Escreve com qualquer inclinação e em qualquer tipo de papel. Comprei-a e senti-me uma miúda no natal! É a minha mais recente caneta não emprestável.....até porque me custou quase 5€, em promoção!

 

20160921_140545.jpg

 

Sarah