Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Experimentalista

Um blog onde exponho publicamente as pipas de massa que já gastei, dividindo-as em "bem empregues" e "desgostos"

13
Fev17

*spoiler" Eu não devia ter ido ver mais um Sombras...

Sarah

Não li nenhum dos livros, apenas fui, talvez, até ao 5º capítulo do primeiro "50 sombras de grey". Achei que era de uma leitura muito mazinha, mas apenas falo do meu gosto pessoal. A meu ver, para se escrever erotismo ou sexo, tem que se ser muito bom, tem que se ser muito especial. Tem que ser alguém que consiga fugir ao estereótipo que já todos lemos e, acima de tudo, tem que ser uma leitura que nos faça suar e a dona James nunca o conseguiu comigo. Também tive um namorado que se queixou do mesmo, mas o problema era ele, não eu.

Quando o primeiro filme estreou fui com uma amiga à ante-estreia no S.Jorge, assim coisa em bom, com convite, cocktailzinho e famosas todas vestidas de cabedal e com gargantilhas marotas e todas a sentirem-se muito sado-maso, tadinhas. Vi o filme e achei-o a maior xaxada do pinocanço. O acting era mau, ela uma insonsa que, quando o filme entra ali numa ténue onda de tau-tau, chora e berra e ameaça ligar para o apoio à vítima e não sei quê. Ele, um rico e jovem homem que, coitadinho, foi introduzido ao sexo com tareia por uma amiga da mãe. Se ele apenas se chamasse Rúben, morasse na Rinchoa, fosse bata-chapas e andasse numa passat kitada, já não era sexy e sedutor, mas antes um tarado que bate em mulheres. No meio deles, todo um enredo fraquinho fraquinho, como o daquela senhora que transformou os vampiros (os da Entrevista com o Vampiro, sabem?) em seres cobertos de purpurina que brilham ao sol.

Não gostei na altura, não gostei ontem e não sei porque carga de água o fui ver! Mas o Querido é um homem de inícios e fins por isso fez questão de ver o que se passava na segunda parte desta saga. 

O storytelling:

-Mau. O filme podia durar 30 horas que eu sentiria sempre que estava a ver mais um episódio de uma telenovela e não um filme.

-As músicas são metidas a "papo seco", umas atrás das outras, como a minha malta do norte usa palavrões. Ou seja, não eram momentos musicais, eram vírgulas entre cenas.

-As cenas não fluem. Anda tudo aos saltinhos e muitas vezes parecem desfazadas da realidade como quando ele espeta um helicóptero contra uma floresta serra e umas horitas depois aparece em casa fresco e airoso a pedir a namorada em casamento! UPS! SPOLEEEER! Agora já leram :)

 

O acting:

-Continuam a ser dois estranhos na pinocada mas nisto não os culpo. A construção de diálogos é fraca e o guião, em termos narrativos deixa muito a desejar. Eles bem tentaram...

-Desta vez já temos muitas mais cenas de braguilha e tirar cueca, muito mais elevador e a menina (aquela que chorou e cenas quando levou duas nalgadas) a pedir para ir para a Sala Vermelha levar tareias. Ah! E há uma cena com o equivalente humano a um frango no churrasco, giro!

-Foi triste ver a Kim Basinger, esse píncaro do sex appeal, a fazer uma performance de segundo plano onde, basicamente, leva com um martini na cara e um posterior estalo.

-Em momento algum se sente a tensão entre aqueles dois- aquela tensão sexual animalesca que quem vê de fora sente que não devia estar ali pois a coisa está quase um ménage e não uma cena a dois.

 

Todo o enquadramento:

-Eu juro que não entendo os comentários que li no FB, com senhoras a exclamarem que quase engravidaram durante o filme, tais não foram os calores nas suas partes baixas. Entendo que muitos casais tenham visto a sua vida sexual a melhorar, apesar de tudo, o conceito base é o arriscar para experimentar e apenas neste ponto entendo o sucesso e o sururu em torno dos livros e dos filmes. Mas, daí a serem obras primas, aquele tipo de coisa que vemos uma e outra vez, não está nem lá perto. 

Mas deixo uma sugestão: A Trilogia das Pedras Negras da Anne Bishop. Tem tareia, sensualidade e coisas bem mais negras do que a senhora do "tau-tau mansinho ou eu acabo contigo e tu matas-te!". Deixo-vos o honest trailer. Este sim fala a sério da xaxada que isto das sombras se tornou.

 

Sarah

17 comentários

Comentódromo