Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Experimentalista

Um guia, uma ideia, uma sugestão, ou apenas um sítio onde vir dar um passeio

Experimentalista

Um guia, uma ideia, uma sugestão, ou apenas um sítio onde vir dar um passeio

Qua | 08.02.17

Estragámos a vida pública e a gestão do lar

Sarah

Inscrevemos-nos ontem no NETFLIX.

Primeiro, logo quando apareceu a gigantesca televisão que o Querido comprou a preço de saldo, instalámos o TvCine, que se revelou uma grande treta. Os conteúdos eram na sua maioria maus, fazíamos zapping por todos os tvCine e não dava nada e jeito ou então repetiam incessantemente o mesmo programa, enfim, não estava a valer a pena.

Até que eu convenci o Querido, ontem à noite, a subscrever O NETFLIX, numa de "deixa ver o que dá!". 

Resultado: meia hora a viajar por entre a oferta (BRI-LHAN-TE) de conteúdos e dois episódio de "Strangest Things" vistos.

Há pouco, deu-se esta troca de mensagens:

Q- temos que ver mais séries no NETFLIX.

S- acho bem! Qual queres ver?

Q-Black Mirror, Designated Survivor e a The Crown.

S- ahhhh! então tu não queres ver uma série....tu queres começar a seguir 4 portentos! E ontem também falaste no How To Get Away With Murder e o House of Cards.

Q- yup! Essas também! 

S- Vamos continuar a sair de casa e a ir trabalhar todos os dias?

Q- apenas porque temos que pagar a subscrição!

 

E é assim que duas batatas do sofá vêm pela primeira vez a luz da televisão!

E vocês, o que vêm?

 

Sarah

Qua | 08.02.17

Experimentalista Sugere: Mochilas da Eastpak em Saldo

Sarah

Caríssimos:

-Sois pais de um adolescente, que se recusa a ir para a escola se a mochila não for de marca, sob ameaça de nunca mais ter amigos e ter um péssimo rendimento escolar?

-Trabalhais com o vosso computador, por isso, todos os dias andam com o mastronço ás costas e já se sentem o Corcunda de Notre Dame?

-Têm mota e são miúdas giras, por isso precisam de uma mochila com "cenário" para não vos estragar o outfit?

 

Ide ao site da Eastpak e pecam-se nos Saldos!

Eu faço parte do grupo que anda com o pc ás costas e, agora que começo a sentir que a minha coluna está a 2 kg de tralha de se tornar a curva do Mónaco, decidi investir numa mochila boa. Contudo, quem me segue, sabe que eu estimo muito o meu suado dinheiro por isso tinha que ser um achado financeiro, a chamada pechincha. E encontrei:

Esta menina custou-me uns módicos 27,50€. É acolchoada nas costas e nas alças, tendo um reforço especial nas costas, tem um compartimento para pc com segurança de um strap de velcro, pesa 380g e tem garantia de 30 anos! Nem eu sei se duro esse tempo todo! Gostei do verde (a minha cor favorita) e acho que tanto de inverno como de verão, não me vai estragar o figurino, até porque sonho que um dia tenha um pc na empresa e esta mochila ganhe outro destino, como o ginásio.

Vem directamento dos USA e os portes são grátis, por isso, só pagamos mesmo a mochila. Os modelos são mais que muitos e esta que encomendei, existe em mais 15 cores. Os preços bons mesmo bons vão até aos 50€ mas, a partir daí, também conseguem bons negócios.

Digam lá que não é bom investimento! 

Sarah

Ter | 07.02.17

O karma também tem coisas boas

Sarah

Eram 18h30, numa das artérias de Lisboa, onde vemos convergir acessos de metro e autocarro, com um movimento automóvel e pedonal de loucos. Vou a passo apressado para tentar ir aos CTT mas, quando lá chego, já estava fechado. Fiquei de neura, precisava mesmo de fazer aquele envio mas preparei-me para entrar no metro. Amanhã seria outro dia.

Nisto, vejo uma senhora que devia andar nos 70 e muitos anos, a fazer um esforço sobre humano para trazer consigo um daqueles sacos azuis do IKEA e um carrinho de compras, dos que têm duas rodinhas. A senhora, literalmente, arrastava as duas coisas, parando ao fim de poucos passos. Já vos disse que estava numa artéria cheia de movimento não já? Pois, mas ninguém parava, todos seguiam cheios de pressa, como se eu não a tivesse. 

Ela pára na passadeira e fui ter com ela. "Quer ajuda com o saco?". Os olhos iluminaram-se e ainda eu não tinha pegado no saco já ela me agradecia. Já tive gente que se assustou com a minha pergunta e disse que não, já tive gente que disse que sim mas sempre a agarrar no saco, para eu não fugir. Esta foi a melhor reacção de todas!

Até para mim o peso era considerável, e eu já trazia carga minha. Pediu-me que a deixasse num sítio específico, pois ia apanhar um táxi e, quando chegámos aquela esquina chamei-lhe um táxi que ia a passar.

"Muita sorte e saúde menina! Tudo de bom para a sua vida!"

O sotaque era minhoto, tão meu conhecido, os olhos clarinhos e o cabelo bem arrumadinho num carrapito. Podia ser uma das avós que já não tenho. Podia até ser uma grande velhaca. Não interessa. Ajudei. As nossas cargas, quando divididas com os outros, pesam menos.  Um dia escreverei sobre a falta do solidariedade, mas não hoje. Hoje apenas espero que ela tenha chegado bem ao seu destino.

E o karma, Sarah!? Quando saio do metro, deixo cair o meu passe, ou seja, deixo cair 45€ que é o que me ia custar pedir um novo passe (urgente) mais o carregamento. Já ia em passo acelerado quando uma rapariga vem a correr atrás de mim com o meu passe na mão. Fiquei sem reacção imediata, mas agradeci-lhe. 

O karma também funciona rápido para as coisas boas, descobri isto ontem. 

16425897_1247529055339437_4322954997867517311_n.jp

 

Sarah

Ter | 07.02.17

Crianças com o mundo ás costas

Sarah

Acabo de assinar a petição contra o peso das mochilas dos nossos miúdos. Este assunto é-me particularmente sensível pois também eu fui uma "tartaruga da escola". Também eu, pousava a mochila a meio do caminho pois magoava-me nos ombros e eu sempre tive mochilas boas. Também eu fazia todos os dias um tetris matinal de livros, estojo, cadernos e lanche, para conseguir encaixar tudo dentro da mochila. Também eu chegava a levar o dossier ou alguns cadernos mais pesados nos braços, para não pesar tanto nas costas. Os piores livros eram sempre os de ciências, seguidos dos de português, autênticas bíblias que tínhamos que carregar o ano todo. 

Desengane-se quem pensa que isto é apenas relacionado com o "simples" peso das mochilas, pois este assunto tem todo um iceberg abaixo da superfície:

-O lobby dos livros: não é novidade nenhuma que todos os anos, ou muito perto disso, os manuais escolares são revistos, modificados e alterados, logo, a utilização dos livros do ano anterior está fora de causa. E a culpa é de quem? De quem não regula, de quem recebe os envelopes por baixo da mesa e de quem acusa os que expõe a situação de "complô contra a Porto Editora e a Areal", os grandes masters do negócio. Há mesmo algumas escolas que proíbem a utilização dos manuais se não forem novos com o argumento de que "há sempre alterações de ano para ano", ou seja, vão os paizinhos desembolsar cerca de 250€, por filhos, todos os anos lectivos;

 

-O lobby dos trabalhos de casa: um miúdo "normal" de hoje tem uma média de 10h horas fora de casa. Os adultos trabalham pelo menos 8h e ai de quem os mande trazer trabalho para casa. Mas os miúdos trazem. Trabalhos esses que vão ter que fazer entre a ida ao karaté ou à dança, entre a natação e as aulas de piano. E agora vocês dizem "ah mas isso é culpa dos pais!". Não, isto é culpa de um modelo de sociedade que não dos deixa ser pais, que reivindica que o bom trabalhador  é o que tem horas para entrar mas não tem horas para sair, que o bom trabalhador nem sequer tem filhos! Já viram que estou, por causa de mochilas, quase a falar de licenças de maternidades e direitos de apoio à família!? Se os pais não têm tempo para estar com os filhos, alguém tem que ficar com eles. Que ao menos os miúdos aprendam alguma coisa que gostam...

 

-O lobby do programa de ensino português: quem se lembra do que deu no 7º ano? Ou no 8º? Ou mesmo na 4ª classe? Eu não me lembro, desculpem-me. "Antigamente", no tempo dos pais e avós, os miúdos podiam não ser expostos a tantos conteúdos mas ao menos saíam da escola a sabê-los de cor e salteados. Agora, tudo é injectado na cabeça das crianças como se faz ás vacas para darem mais leite: o que conta é o resultado daquele teste. Se aprendeste ou decoras-te isso já é problema teu. Não concordo com o sistema que temos, não concordo com a especificação do ramo de estudo (ciências, humanidades, economia e artes) logo a partir do 10º ano e não concordo que as crianças sejam estimuladas para o ensino "a hormonas" e não a "pasto", que é como quem diz, o ensino com tempo que fomenta a aprendizagem e não o acto de decorar. Nisto os americanos estão à frente: os alunos fazem o seu plano de estudos, podendo ter matemática e literatura, ciências e arte.

 

Para mim, como podem ver, isto das mochilas ultrapassa em larga escala o objecto de transporte. Claro que o simplistas dirão sempre "então e as mochilas com rodinhas? Então e os cacifos?". Nada viáveis. Eu também já podia ter tido mochilas com rodinhas mas, quando no 5º ano, medimos 1,65, fica difícil andar a arrastar uma coisa que não nos chega aos joelhos, ficaria marreca à mesma. E os cacifos.....eu sempre tive aulas de "manhã" e mesmo que fizesse os trabalhos na escola, eu tinha que estudar para o dia seguinte, logo, os livros vinham à mesma comigo para casa. Além disso, eram fácil arrombar um cacifo e ficar-se sem um livro....

 

Se concordam, se não concordam mas têm filhos ou menos se apenas gostam de assinar coisas......deixo-vos a petição. Já a assinei e não poderia deixar de a partilhar.

Obrigada

Sarah

Seg | 06.02.17

Experimentalista fez: Tarte de Limão Merengada

Sarah

Jantar de família no sábado, não em minha casa, mas quis levar algo para deleite dos convivas. Pesquisei alguns doces, não quis fazer (outra vez) baba de camelo mas também não me sentia com vontade de fazer algo que me desse muito trabalho, por isso, sexta-feira à noite, entre uma sopa e um peixe grelhado, atirei-me a uma tarte de limão merengada.

Adoro doces com limão. Os doces demasiado doces (como os que levam chocolate) costumam enjoar-me por isso gosto sempre de adicionar um travo mais amargo, daí a tarte de limão. Depois, vi a receita e parecia-me bastante simples, com poucos passos e contas fáceis de fazer. 

 

Receita:

-3 limões grandes (sumo de 3 e raspa de 1)

-6 ovos

-1 lata de leite condensado

-200g de bolacha maria torrada (um pacote inteiro)

-80g de manteiga derretida (uso uma do Lidl que tem as gramas divididas no pacote)

-5 colheres de sopa de açúcar confeiteiro (o açúcar mais fino)

 

Pré-aquecer o forno a 200º.

Triturar as bolachas, juntar um ovo e a manteiga derretida. Numa forma de tarte com fundo amovível, forrar o fundo com papel vegetal/manteiga e colocar a mistura das bolachas, pressionando contra o fundo e contra os bordos. Separar as gemas das claras e bater as gemas com o leite condensado, até ficar uma gemada fofa, com bolhinhas de ar. Enquanto a mistura bate, espremer os dois limões e raspar o que ainda esta inteiro, juntando-o depois aos que já foram espremidos. 

Quando a mistura está esbraquiçada, com uma vara de arames, mexer sempre enquanto se deita o sumo de limão, para evitar que talhe. Deitar por cima da base de bolacha e levar ao forno uns 10 minutos, até o creme ficar firme. 

Neste momento, batem-se as claras bem firmes e só depois se juntam as colheres de açúcar, uma de cada vez, mexendo sempre a mistura. O merengue está pronto quando fizer picos brilhantes. Tirar a tarte do forno, esperar que arrefeça um pouco, reduzir a temperatura do forno para 160º e colocar o merengue com uma colher de sopa em metal, ou um saco de pasteleiro, se tiverem. Ao fim de 5 minutos, ligar o grill e em menos de 1 minuto, o merengue ganha cor e pode ser tirado do forno. Eu desliguei tudo e deixei-o lá uns 5 minutos, para que o merengue não abatesse com a mudança de temperatura.

Et voilá! Fácil e rápido e adivinhem quem desta vez tirou foto!?

20170203_235141.jpg

20170203_235151.jpg

Quando a tirei do forno, estive uns momentos em apneia.....mas JÁ VIRAM BEM ESTE MERENGUE!? Quem já fez ou tentou fazer um merengue, sabe que a distância entre picos altos e fofos e uma hóstia é muito curta e este foi o meu primeiro. O Querido estava na cozinha comigo, a entender roupa, e quando me vê tirar isto do forno e o meu ar de satisfação infantil, bateu-me palmas e diz "saíste-me bem melhor que a encomenda rapariga!". Fiz uma dança da vitória e 24h depois, tive uma mesa cheia de gente a dizer "hummmmmmm". Se calhar dei-lhe cor a mais mas tinha medo que não ficasse bem cozido.

Estou a um souflé de ir ao Masterchef (para a humilhação em TV :) )

Sarah

Seg | 06.02.17

Mi casa es tu casa #1

Sarah

Desde que a D. O nos passou um conjuntinho de chaves para as mãos, que o meu orçamento nunca mais viu dias felizes, de abundância ou ostentação, muito porque, pela primeira vez, pude mandar naquilo que decora as paredes de casa e também porque sofro do síndrome do frigorífico vazio. Sim, muito do meu orçamento vai para co-mi-da! Ridículo..

Mas quanto ao doce lar dos amores.....eu já escolhi a minha loja para decoração. Nem IKEA nem ZARA Home nem nada disso: H&M senhores, H&M! Eu até gosto muito das outras marcas mas como diz a minha santa mãe: quem não tem dinheiro, não tem vícios! E eu, tenho que controlar os meus daí a H&M morar eternamente no mi corazón.

Primeira ida com vontade de gastar dinheiro à H&M:

Entro na H&M Colombo, desfilo resistente e serena por todas as secções por onde passei, sem ceder a tentações, e chego à parte da decoração. A-DO-REI! Primeiro, as cores da nova colecção: tudo em tom pastel mas com cor, em tons de rosas, com os azuis, os verdes, algum preto e dourado, muito dourado! De seguida, fui à parte dos saldos e rendi-me aos preços e à quantidade de coisas giras que ainda encontrei.

A minha sala está em tons de vermelho, cinza e branco mas as almofadas do sofá eram para lá de horrorosas, além de serem da casa. Depois de alguma busca, encontro quarto almofadas (dois conjuntos) que eram perfeitos. O resultado foi este:

20170204_115119.jpg

20170204_115125.jpg

 

Modéstia à parte, não está um miminho? E o preço? Cada almofada custou-me 3€! E gostei muito do pormenor HAPPY em lantejoulas....e eu odeio lantejoulas mas, efectivamente, é uma casa muito happy. As capas dos sofás são da LA REDOUTE e custaram-me 45€ numa super-promoção que eles fizeram em Dezembro. A manta branca é Primark e as almofadas do sofá mais pequeno já estavam na casa mas como são bonitas, sobreviveram à minha expurga decorativa. 

Em relação à colecção nova da H&M, deliciem-se com estes mimos que escolhi, um para casa divisão:

 Adoro camas brancas! Mesmo que alguns lhes chamem "cama de hotel", não consigo resistir a uma cama totalmente branca

Conjunto de edredão e almofadas por 69,99€

 

 Velas! Adoro velas! Adoro criar ambiente, apenas uma luzinha tremeluzente. E estas da foto cheiram mesmo muito bem, sendo as minhas favoritas a White Jasmine e a Mohoghany. Por 7,99€

 

Tenho este conjunto de wc debaixo de olho, e ele tem-me a mim! 

12,99€ o dispensador e 5,99 o copo das escovas de dentes

 O nível de "divismo" destas canecas adapta-se na perfeição a nós enquanto casal! 

14,99€ pack de dois

Além disso, a marca ainda é das poucas a vender Conscious, ou seja, os materiais são de proveniência sustentável, respeitando as pessoas e o meio ambiente. Se já era fã das colecções de roupa, agora, é a minha casa que também visto com H&M.

Sarah

Qua | 01.02.17

Este não é um bom pastor

Sarah

Fui criada na fé cristã, que ainda hoje adopto. Fui baptizada, fiz a primeira comunhão e a profissão de fé. Em "teoria", falta-me o crisma e o casamento. Sou uma pecadora é verdade mas o que acontece é que, apesar de ter sido criada neste credo, sempre pus algumas coisas em causa, como a confissão para absolvição dos pecados, principalmente, quando perguntamos a uma criança de 10 anos quais são os seus pecados. 

Claro que, ao fim de algum tempo, eu ia à confissão, dizia umas coisas e vinha-me embora, purinha da silva! Isto é religião? Não acho. Como também não acho que o Deus castigador seja o meu Deus, ou o Cristo pregado na cruz seja o meu Cristo. Eu acredito e creio no Cristo-budista (ai a heresia menina!!), que é o Cristo do amor ao próximo, da aceitação dos que pecam e do apoio a quem precisa dele. Este é a minha fé e eu não gosto que a ponham em causa.

Muito menos, que me ponham a mim em causa enquanto boa ou má influência para uma criança e foi isso que um senhor padre achou por bem fazer.

A minha sobrinha vai ser baptizada e a madrinha sou eu. Ainda ela andava a navegar em líquido amniótico e isso já estava decidido. Então demos início aos procedimentos religiosos, as papeladas a apresentar e a apresentação dos padrinhos. Isto que vou relatar foi o que aconteceu a um casal que quer baptizar um bebé:

Dirigiram-se à igreja e fizeram um primeiro pedido de data e papéis. Voltaram para uma reunião com o padre que lhes perguntou quem eram os padrinhos: cunhado da mãe e irmã do pai. Tudo certo. Chegámos à minha parte:

Padre - A madrinha tem o crisma?

Irmão- Acho que não...

P- Ah bom..mas devia! E é casada?

I - Não. Está numa relação e até moram juntos mas ainda não casaram

P- NÃO CASARAM!? A MADRINHA MORA EM PECADO!? COM UM MARMANJO!?

Irmão e cunhada em choque. O padre tem 38 anos, foram apanhados na curva com uma reacção tão séculos XIX. 

I- Ah mas vão casar! Só ainda não casaram porque não tiveram dinheiro para isso mas vão casar!

(Assim como quem diz que eu vou deixar a vida e procurar um homem honesto e bom cristão e deixar este chulo diabólico que mora comigo mas não me casa)

P- Se for assim já concordo mais......

 

Em Junho terei duas reuniões com o senhor padre para ele me ensinar a ser madrinha e boa pessoa. Preciso da vossa opinião:

1- vou ás reuniões de véu de renda e saia preta abaixo do joelho, com sapato raso e casaquinho de malha?

ou

2-Vou de mini saia, decote e com batom vermelho, assim coisa à la Pretty Woman?

 

O meu pai diz que se o padre se puser com merdas baptizamos nós a miúda na pia baptismal e vamos embora comer. A minha mãe diz que o padre não poderia ter sabido isto, que agora já não me vai ver direita. Eu ando à procura de vestidos sensualões. 

Estou doente com isto.

 

Sarah

Pág. 2/2