Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Experimentalista

Um guia, uma ideia, uma sugestão, ou apenas um sítio onde vir dar um passeio

Experimentalista

Um guia, uma ideia, uma sugestão, ou apenas um sítio onde vir dar um passeio

Seg | 21.08.17

Haja força de vontade!

Sarah

No marasmo de sábado à noite em pleno mês de agosto (!?) decidimos ver um documentário sobre a alimentação que fazemos. Procurámos, procurámos (tudo no Netflix) e como eu já tinha visto o Cowspiracy  de Louie Psihoyos, decidimos experimentar o What The Heatlh, de Kip Andersen. A chamada do filme ganhou-me logo: The Heatlh film that health organizations don´t want you to see e a verdade é que, ao fim das quase 2h de filme, sentimos que nos tinham entrado em casa, pois tudo o que foi exposto em momento algum foi extremista ou anti-pessoas-que-comem-carne, apenas nos esclareceu como a "grande máquina" funciona.

Claro que não deixou de ser assustador ver o que andamos a comer, nomeadamente, o que o que andamos a comer nos faz: os antibióticos do leite, as infecções a que os animais estão sujeitos, os resíduos fecais que encontramos nas carcaças que a seguir consumimos....enfim! Assusta não é? Confesso que estivemos grande parte do documentário de boca aberta a pensar "então mas o que é que eu como!? O que é que não me mata!?" Procurando bem, é todo um novo mundo à nossa frente.

Já desde o início do ano que deixe os leite (bebo bebida de arroz) e reduzi muito o consumo de porco e vaca mas o frango mantive a todo o gás. E o peixe claro. Contudo, depois de ontem, quer eu quer o Querido decidimos:

 

Vamos (tentar) ser vegetarianos!

 

Um corte radical ia dar cocó, íamos cair em pecado ao fim de um mês, se tanto!, e acabaríamos a ser uns infelizes por isso o plano é:

-Cortar com TODA  carne, enchidos e derivados incluídos;

-Cortar com o leite (o Querido) e reduzir muito no queijo (aguenta coração!)

-Aprender a cozinhar novamente todas as 154268 formas de comer legumes

-Estudar o que devemos mesmo comer para não sofrermos com a perda da vitamina B12 e Ferro (suplementação vegana existe)

-Dizer em voz alta ás nossas famílias criadas à base de leitão e churrascadas que agora queremos peixe ou hamburguers de legumes.

 

Entendam, isto da comida para nós não passa de uma mera necessidade fisiológica: nós amamos comer, nós rodeamos a nossa vida social em volta da comida, nós não combinamos uma leitura num jardim ou ir andar de patins, nós combinamos IR A QUALQUER LADO COMER! Isto sem qualquer fundamentalismo da nossa parte pois não pretendemos evangelizar ninguém: é uma escolha nossa, como ser do benfica ou do grande Sporting!

Contudo, depois do que eu já acreditava sobre o que é ou não saudável, depois de sentir que o meu corpo já não processa o leite normal, a carne de porco e os enchidos....isto tem tudo para ser uma mudança para melhor. Iremos manter o peixe (de mar sempre que possível e fugindo ao salmão) e os ovos e algum (pouco) queijo.

Agora deixo o apelo: vegetarianos desta blogosfera, como foi para vocês a mudança? Perderam amigos, a família deixou de vos falar, as pessoas referem-se a vocês como seres de uma seita maléfica de adoração da courgette e do tofu? Falem comigo, preciso do vosso amor verde.

 

 

Sarah

 

42 comentários

Comentar post

Pág. 1/3